sábado, fevereiro 24, 2024
Anúncio
InícioBem EstarQuem foi Osíris? Conheça tudo sobre a divindade egípcia

Quem foi Osíris? Conheça tudo sobre a divindade egípcia

Estátua da Divindade em um templo com o sol ao fundo

Você sabe quem foi Osíris e o que essa divindade representou? Parte importante da religiosidade e mitologia do Egito Antigo, Osíris é considerado o senhor do mundo dos mortos e Deus do Julgamento.

Isto é, a divindade é uma das mais tradicionais na mitologia egípcia e, com o tempo, tornou-se uma das mais importantes. No entanto, os atributos de Osíris foram mudando e adaptando-se ao passar dos anos.

Exemplo disso é que, inicialmente, ele era considerado o Deus da Fertilidade. Contudo, foi considerado o Deus e senhor do mundo dos mortos.

Na mitologia, Osíris também foi casado com a Deusa Ísis, responsável pela proteção do reino e governar os céus, com a qual deve Hórus, o Deus do Sol e mediador dos mundos.

Mas quem foi Osíris? Quando o deus surgiu e qual a sua representação na mitologia egípcia? Confira mais sobre a divindade neste artigo!

Quem foi o deus Osíris?

Para começar, vamos entender quem foi o Deus Osíris. Em resumo, a divindade faz parte da mitologia e religiosidade dos antigos egípcios. Apesar de ser um dos deuses mais relevantes na cultura antiga, o deus ganhou sua relevância ao longo do tempo.

Isto é, inicialmente Osíris era considerado um deus da fertilidade. Entretanto, ao longo dos anos, a divindade foi vinculada também à morte, ao mundo dos mortos e à vida após a morte.

Assim, por ser considerado o senhor do mundo dos mortos, ele reinava sobre as almas, conduzindo o julgamento daqueles que morriam.

Com isso, seu julgamento era o que determinava o destino de todas as pessoas após a morte. Para isso, o deus se baseava nas ações que a pessoa teve em vida.

Outro detalhe comum nas representações que ajudam a entender quem foi Osíris é a mumificação. O processo era parte da crença dos egípcios na vida após a morte.

Em resumo, essa representação reforça ainda mais a ligação desse Deus com a morte, além da relevância da mumificação e ritos funerários.

Mais um detalhe importante para entender quem foi Osíris é que ele era apresentado como o primeiro faraó egípcio. A divindade governou a Terra junto de sua esposa, Ísis.

O governo de Osíris foi considerado um período de paz, justiça e prosperidade. O deus Osíris foi considerado um bom governante, transmitindo ensinamentos para toda a humanidade, em especialmente sobre agricultura e medicina.

Quando ele surgiu

Mas além de saber quem foi Osíris, outro fato interessante é saber quando o deus surgiu. Em resumo, acredita-se que o culto a essa divindade se estabeleceu durante o período Pré-Dinástico.

Assim, a sua duração data de 6000 a.C. a 3150 a.C. Além disso, o culto à Osíris ganhou mais notoriedade e influência a partir do período Dinástico, que aconteceu 3150 a.C. e 2613 a.C.

Contudo, mesmo com a perda de sua relevância, ele se manteve presente no período em que os gregos controlavam o Egito. O período vai de 323 a.C. e 30 a.C., durante a dinastia Ptolomaica.

Da mesma forma, há a crença de que ele foi um dos faraós mais importantes em seu governo no período Pré-Dinástico. Assim, após seu governo, Osíris foi divinizado quando morreu.

Por fim, ainda vale destacar que, na mitologia, o deus era filho de Geb, deusa da Terra, e Nut, deusa do céu.

Mais sobre a sua história

Estátua lateral do Deus Osíris na frente do templo

Outro detalhe sobre a história desse Deus é que ele também era considerado o deus da ordem. Dessa maneira, a divindade também tinha como missão manter a harmonia na Terra.

Com isso, Osíris também foi visto como o representante das forças naturais da Terra. Na sua história, Osíris era descrito como o verdadeiro Governador da Terra.

Entretanto, após a sua morte, ele se tornou a figura conhecida como o Juiz dos Mortos, responsável pelo julgamento dos seres humanos no pós-vida.

Além disso, Osíris também apresentou um papel fundamental na história e desenvolvimento do Egito. Foi dele que partiu a criação de leis essenciais para evolução social e formação da sociedade em si.

A representação do deus Osíris

Mais uma curiosidade para quem deseja entender mais sobre Osíris é saber qual a representação deste deus. Como já destacamos, ele é apresentado como um governante mumificado.

A divindade ainda apresenta uma barba e tem uma coroa adornando sua cabeça. Por sua vez, a cor da pele é representada com tons verdes ou preta. Assim, a ideia é representá-lo em estado de morte.

Em geral, as figuras que representam o Osíris datam do período 1539 a 1075 a.C, que o revelam de braços sobre o peito, segurando um cajado e um açoite em cada mão. Por vezes, o deus também é chamado de Usir ou Ausar.

Apesar de ser considerado o Deus dos Mortos e do mundo dos mortos, Osíris também é cultuado como o Deus da Agricultura. Isto é, a figura da divindade também é associada à vida e ao renascimento.

Osíris na mitologia egípcia

Mas quem foi esse Deus na mitologia egípcia? Qual era a importância do deus na cultura dos egípcios e de quem vivia na época?

Em resumo, a divindade era considerada uma das mais importantes na mitologia da época. Isto é, Osíris tinha um papel fundamental entre os mitos e histórias narradas pelo povo.

Além disso, os egípcios o consideravam um bom governante, trazendo justiça e ensinamentos para toda a humanidade. Dessa forma, os mitos contam que Osíris foi um governante muito respeitado, adorado pela sociedade.

Contudo, o amor das pessoas por Osíris causava grandes ciúmes em seu irmão, Set. Com isso, Set elaborou um plano para aprisionar seu irmão e matá-lo.

Para isso, Set aprisionou Osíris em um sarcófago, o jogando no Rio Nilo. No entanto, seu corpo acabou em Fenícia, onde foi resgatado por sua esposa, Ísis, que realizou uma grande viagem para encontrá-lo.

Dessa maneira, Ísis regressou ao Egito com o corpo de seu marido para realizar e um ritual para o trazer novamente à vida.

No entanto, antes que pudesse realizar o ritual, Set encontrou o corpo de seu irmão e o dividiu em várias partes, espalhando pelo Egito.

Ísis novamente partiu em uma jornada para encontrar todas as partes do corpo de Osíris. Apesar de não encontrar uma delas, a deusa realizou o ritual de ressurreição. Mas por não estar completo, ele não pode permanecer no mundo dos vivos.

Assim, após ter seu filho com Ísis, o Deus Hórus, a divindade partiu para reinar o mundo dos mortos.

Estátuas do Deus Osíris na frente de um templo

Religião egípcia e culto a Osíris

E para a religião egípcia, quem foi Osíris? Uma prática bem comum na cultura e especialmente na religiosidade egípcia foi o culto ao Deus Osíris.

Aliás, pela relevância da divindade, diversos cultos, rituais, oferendas, sacrifícios e cerimônias eram realizados em seu nome. Os festivais eram feitos especialmente para celebrar seu renascimento.

Isto é, a morte para a religião egípcia possuía um grande significado, o que faz dele um dos deuses mais relevantes para a cultura da época.

Assim, os cultos ao deus eram feitos em Abidos, onde estava localizado um importante templo dedicado à Osíris. O santuário deste tempo, por sua vez, era aberto apenas para os sacerdotes.

Contudo, a população era autorizada a visitar o templo para deixar oferendas ao Deus dos Mortos ou cultuá-lo. Por fim, ainda vale destacar que o culto a Osíris também tinha uma forte relação com o Rio Nilo.

Para a população egípcia, as cheias do Nilo simbolizavam o renascimento de Osíris, além de sua influência na agricultura e prosperidade.

Como Osíris morreu?

Como já destacamos antes, esse Deus morreu e voltou à vida duas vezes após ser morto por seu irmão, Set. No entanto, mesmo após ressuscitar através dos rituais de Ísis, a divindade partiu para o mundo dos mortos, onde passou a governar.

Assim, ele permaneceu no mundo inferior, no qual Anúbis transferiu a ele o poder sobre os que faleceram, dando seu lugar de Juiz e Senhor dos Mortos.

Dessa maneira, o deus ganhou a função de julgar a vida após a morte, sendo dele a decisão sobre o destino de quem faleceu: os campos de juncos — terra abençoada —, ou o mundo dos perversos.

Os julgamentos, feitos por Anúbis, eram feitos com o morto sendo conduzido até a balança de deusa Maet. De um lado estava a pena de um avestruz – representando a justiça de Maet -, e do outro o coração do morto.

Assim, o morto deveria declarar sua inocência em sua passagem pela Terra e, caso estivesse mentindo, seu coração iria pesar mais do que a pena. Nesse caso, o morto seria devorado por Ammit, o devorador de almas.

No entanto, caso fosse verdadeiro em suas alegações, o coração pesaria menos do que a pena, retornando ao corpo do morto. Dessa forma, ele era conduzido até Osíris, que o abençoava com a permissão de ir para a terra abençoada.

Entenda a simbologia por trás de Osíris

Por toda a sua relevância para a cultura e religião egípcia, Osíris carrega também toda uma simbologia. Isto é, além da representação feita pelas imagens, ele também traz outros símbolos importantes.

Um deles é Djed, a coluna vertebral do deus egípcio. Esse símbolo é comumente encontrado em sarcófagos.

Outros símbolos que Osíris carrega é a Coroa de Atef, além de duas plumas de avestruz, que representa o poder do Faraó.

O grande mito de Osíris

Mais um detalhe importante para descobrir mais detalhes sobre esse Deus é conhecer o grande mito do deus egípcio. Famoso na história do Egito Antigo, o mito, como toda a relação entre Osíris, Ísis e Set.

Como já destacamos, Set possuía uma grande inveja de Osíris, e tinha como objetivo tomar seu lugar no trono. Para isso, Set aprisiona seu rival em um caixão e o joga no rio Nilo.

Ao descobrir as ações de Set, Ísis parte em busca do caixão perdido. Após encontrá-lo e tentar sua ressuscitação, Set novamente age para continuar seu plano. Ele divide o corpo de Osíris em oito pedaços, e o espalha pelo Egito.

Ísis continuou sua busca para auxiliar Osíris em seu retorno e, com a ajuda de sua irmã Néftis. No entanto, ambas encontram sete dos oito pedaços, com exceção do seu órgão genital.

A falta do último pedaço impediu que ele saísse do submundo, onde permaneceu sendo mumificado por Anúbis. Ísis e Osíris ainda tiveram um filho, Hórus, que jurou vingança contra Set.

Apesar de todas as tentativas de trazer Osíris de volta a vida feitas por Ísis, o julgamento do submundo decidiu que nenhum morto pudesse retornar, mesmo que fosse ele um deus

Deus do julgamento e suas curiosidades

A importância desse Deus permaneceu por muito tempo, e seu nome era utilizado como título pelos mortos. O principal centro de culto ao deus estava localizado em Abido, a capital da 8ª província do Alto Egito.

Na cidade, era celebrado anualmente um festival dedicado a Osíris e sua vitória sobre outros deuses e seus inimigos.

A relação de Osíris e Ísis

Estátua do Deus Osíris ao lado da Deusa Ísis

Por fim, mais um aspecto sobre esse Deus que podemos destacar é a sua relação com Ísis. Como já destacamos ao longo do texto, as duas divindades possuíam uma forte relação.

Ísis, a deusa egípcia do amor, da magia e da fertilidade, era também irmã de Osíris antes de se tornar sua mulher. A forte relação entre os dois também foi fundamental na história desse Deus.

Isto é, foi Ísis quem o ajudou em seu reinado, além de garantir sua vida e permanência no mundo dos vivos antes do seu governo sobre os mortos.

Agora você sabe tudo sobre Osíris

Embora seja considerado o Deus dos Mortos, ele também tem forte influência sobre a vida. Suas características, aliás, destacam não apenas a morte, como também o renascimento.

Apesar de já não possuir a mesma relevância na cultura egípcia, Osíris foi uma figura imortalizada de muito cultuada por anos. Consagrado também como Deus da Fertilidade, ele foi reverenciado especialmente pelas fartas colheitas e plantações.

E se você gostou de ler e saber mais sobre quem foi Osíris, aproveite para conhecer mais sobre temas como esse. Continue no blog da Fênix Incensos! E não deixe de conferir nossa linha completa de incensos, feitos de forma artesanal e apenas com ingredientes naturais.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Anúncio

POPULARES