fbpx

Apneia do sono tem cura? Saiba mais sobre esse problema

5 minutos de leitura

Você costuma dormir bem? Em 2018, a Royal Philips divulgou um dado preocupante: os distúrbios do sono atingem aproximadamente 72% dos brasileiros. Um deles é a apneia, que só perde para a insônia. Se você também é uma dessas pessoas, talvez já tenha se perguntado se apneia do sono tem cura, correto?

O melhor caminho para contornar o problema e conquistar mais qualidade de vida é entender as causas e os tratamentos disponíveis. Portanto, nada de se desesperar! Acompanhe este texto sobre o assunto e saiba como garantir mais tranquilidade durante a noite inteira.

Afinal, o que é apneia do sono?

Essa complicação, também conhecida como Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), é frequente entre aqueles que dormem de lado ou que roncam muito ao longo da noite. Trata-se de uma doença de cunho crônico e caracterizada por apresentar paradas momentâneas da respiração do indivíduo.

Isso acontece, geralmente, porque as vias aéreas ficam obstruídas (parcial ou totalmente), o que prejudica o fluxo de ar entre os pulmões. Para o quadro ser considerado apneia, o tempo mínimo de duração dessa interrupção do ar precisa ser de 10 segundos em pessoas adultas. Por outro lado, quanto acontece a redução de até 50% do fluxo de ar, os especialistas chamam de hipopneia. 

A questão é que a nossa garganta é bem estreita e, quando relaxamos a musculatura ao dormir, é possível que haja uma queda da língua e o deslocamento da mandíbula. Juntas, essas duas alterações podem impedir a passagem de ar da garganta até os pulmões. Daí vem a apneia. É nesse momento que o corpo desperta e a pessoa volta a respirar.

Quando essa situação ocorre, o indivíduo também pode produzir roncos agudos ou sons muito similares aos de sufocamento. Infelizmente, esse ciclo acontece mais de uma vez ao longo da noite e torna o sono muito superficial e nada reparador. Ou seja, o apneico passa o dia inteiro sonolento, sem qualidade de vida, e ainda corre o risco de desenvolver complicações mais graves, como diabetes.

Quais são os principais sintomas?

A Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia revela que 32,8% da população da cidade de São Paulo, a maior do país, apresenta sintomas de apneia. Além do ronco e da falta de ar durante o sono, a doença pode causar outros sintomas igualmente desagradáveis. São eles:

  • muita sonolência durante o dia;
  • despertar de forma repentina e com falta de ar;
  • boca seca ao acordar;
  • dor de cabeça logo pela manhã;
  • dificuldade para pegar no sono;
  • impotência sexual;
  • dificuldade para se concentrar nas tarefas;
  • irritação, impaciência e nervosismo durante o dia;
  • esquecimentos frequentes.

Quais são os fatores de risco?

Vale destacar que qualquer um pode sofrer dessa condição, inclusive os mais jovens. Ainda assim, existem alguns fatores de risco que aumentam as chances de o indivíduo desenvolver o quadro. Um deles é ser do sexo masculino. Acredita-se que, geralmente, os homens são duplamente propensos a apresentarem os sintomas dessa complicação.

Também já mencionamos os problemas de ronco, mas ainda há outras questões que podem contribuir — e muito — para o desenvolvimento da apneia do sono. Veja!

Histórico na família

Se algum parente seu tem apneia do sono, saiba que há maior probabilidade de você também apresentar o problema no futuro.

Excesso de peso

Em algumas situações, o excesso de peso resulta em maior acúmulo de gordura nas vias aéreas localizadas na parte superior. Esse detalhe obstrui a respiração, o que provoca a apneia do sono.

Ingestão de álcool e outras substâncias

O consumo excessivo de bebidas alcoólicas, tranquilizantes ou medicamentos com efeito sedativo deixa os músculos da garganta mais relaxados. Dessa maneira, aumentam as chances do surgimento do distúrbio.

Formato do pescoço

Existem casos em que as pessoas com maior circunferência de pescoço podem apresentar estreitamento das vias aéreas — o que, sem dúvida, prejudica a respiração durante o sono e causa os sintomas da apneia.

A apneia do sono tem cura?

Logo após o diagnóstico da doença, é comum ficar em dúvida e procurar saber se a apneia do sono tem cura. Por se tratar de uma condição crônica, não há uma cura definitiva, mas sim maneiras extremamente eficazes de combater os sintomas.

A primeira medida é tratar a causa dessa condição. Para o médico especialista Mauricio Bagnato, se a origem do problema for a obesidade, o recomendado é que a pessoa emagreça. Porém, ele frisa que o indivíduo precisa de orientação de um endocrinologista, que o ajudará a perder peso.

Nos casos mais graves, o médico também pode indicar o uso da chamada máscara Continuous Positive Airway Pressure (CPAP) ou a Bilevel Positive Airway Pressure (BIPAP). Ambos os equipamentos ficam conectados a um compressor de ar, o qual realiza uma pressão para forçar a entrada de oxigênio nas vias aéreas ao longo da noite.

Como prevenir o problema?

Também é indicado que o paciente realize outras práticas que, a médio e longo prazo, conseguem ajudar no controle do problema. Por exemplo:

  • diminuir o consumo de bebidas alcoólicas;
  • manter a cabeceira da cama mais elevada;
  • não fumar;
  • realizar tratamentos para redução de peso e congestão nasal;
  • evitar ingerir cafeína ou realizar exercícios físicos intensos antes de dormir;
  • não dormir de barriga para cima;
  • repousar todos os dias no mesmo horário.

Pratique meditação

Essa prática também tem se mostrado bastante eficaz na prevenção da apneia do sono. Ela mantém o corpo relaxado, desconectado dos problemas e, inclusive, evita os altos níveis de estresse — um dos grandes vilões da apneia do sono e do ronco. Veja um passo a passo de meditação para melhorar suas noites de sono:

  1. encontre um local tranquilo, silencioso e organizado;
  2. sente-se em uma posição confortável e com as costas eretas;
  3. se possível, acenda um incenso da sua preferência;
  4. feche os olhos e foque na sua respiração;
  5. observe os seus pensamentos e deixe cada um deles ir embora;
  6. mantenha esse ritmo por, no mínimo, cinco minutos;
  7. depois, alongue bem o corpo e desfrute de uma boa noite de sono.

Por último, não se esqueça: assim que identificar os sintomas da apneia do sono, procure um médico de sua confiança. Somente um especialista pode dar o diagnóstico e indicar o melhor tratamento.

Agora que você já sabe se a apneia do sono tem cura, aproveite o momento e descubra 4 dicas para dormir bem e ter mais qualidade de vida!

Incensos naturais e
artesanais desde 1990

Acesse nossa loja online para conhecer
nossos produtos naturais

Deixe um comentário

Compartilhe este post com mais pessoas!

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on pinterest
Pinterest