segunda-feira, abril 22, 2024
Anúncio
InícioAutoconhecimentoMindfulness: o segredo da atenção plena

Mindfulness: o segredo da atenção plena

Mindfulness, ou atenção plena, é uma prática que envolve focar a atenção no momento presente de forma intencional e sem julgamento.  Originária de tradições meditativas, ela tem sido adotada em diversas situações para promover o bem-estar e a saúde mental. Os benefícios do Mindfulness para a saúde são muitos.  No ambiente de trabalho, por exemplo, […]

Mindfulness, ou atenção plena, é uma prática que envolve focar a atenção no momento presente de forma intencional e sem julgamento. 

Originária de tradições meditativas, ela tem sido adotada em diversas situações para promover o bem-estar e a saúde mental.

Os benefícios do Mindfulness para a saúde são muitos. 

No ambiente de trabalho, por exemplo, pode ajudar a reduzir o estresse, melhorar a concentração e aumentar a produtividade. 

Na vida pessoal, pode contribuir para a redução da ansiedade, melhoria da qualidade do sono e fortalecimento das relações interpessoais.

Estudos indicam que a prática regular de Mindfulness pode trazer melhorias para a saúde física, como a diminuição da pressão arterial e o fortalecimento do sistema imunológico.

Para entender melhor o conceito e começar a praticar, você pode usar técnicas simples, como a meditação focada na respiração ou exercícios de escaneamento corporal. 

O importante é começar aos poucos e tornar o Mindfulness uma parte integrante da sua rotina diária.

Fique com a gente, pois aqui você vai aprender:

  1. O que é Mindfulness ou atenção plena;
  2. Qual a origem do Mindfulness;
  3. Como aplicar a técnica do Mindfulness;
  4. E muito mais…

O que é Mindfulness ou atenção plena

Mindfulness, ou “atenção plena”, é mais do que apenas uma prática – é uma filosofia de vida que encoraja os indivíduos a viverem cada momento plenamente, sem distrações ou julgamentos. 

Ao se concentrar no agora, as pessoas podem se conectar mais profundamente com suas experiências, pensamentos e emoções, levando a uma maior compreensão de si mesmas e do mundo ao seu redor.

A prática de Mindfulness envolve técnicas de meditação e respiração que ajudam a acalmar a mente e o corpo, promovendo um estado de relaxamento e clareza mental. 

Ela pode ser particularmente útil em tempos de estresse ou quando se enfrentam desafios, pois permite que as pessoas enfrentem as situações com uma perspectiva mais calma e equilibrada.

O mais interessante é que a atenção plena pode ser integrada em atividades diárias, como comer, caminhar ou ouvir música, transformando ações rotineiras em oportunidades para a prática consciente. 

Ao fazer isso, o Mindfulness se torna um estilo de vida que pode enriquecer a sua existência de maneira significativa.

Quem pode praticar o Mindfulness?

O mindfulness é acessível a todos, independentemente da idade ou condição física, e pode ser incorporado em qualquer momento do dia, seja durante uma pausa no trabalho, enquanto se come uma refeição ou mesmo ao realizar tarefas domésticas. 

O importante é manter uma atitude de abertura e curiosidade, e estar disposto a experimentar o mundo de uma maneira nova e mais presente.

Com o tempo, a sua prática pode levar a uma transformação profunda na maneira como vivenciamos nossa realidade, proporcionando sensação de paz e contentamento independentemente das circunstâncias externas.

Mindfulness e atenção plena

Como praticar o Mindfulness?

Na prática, o mindfulness propõe exercícios de meditação que visam levar o indivíduo à atenção plena. 

Esses exercícios podem variar desde a meditação sentada, focada na respiração ou em mantras, até práticas mais dinâmicas como a yoga ou a caminhada consciente. 

O objetivo é sempre o mesmo: trazer a consciência para o momento presente, observando pensamentos, sensações físicas e emoções que surgem, sem se apegar ou reagir a eles.

A habilidade de observar sem julgamento promove mais clareza mental e emocional, permitindo que as pessoas respondam às situações de suas vidas com sabedoria e compaixão. 

Confira agora alguns passos que vão te ajudar na sua prática diária.

Permita-se sentir

Em atenção plena, ao invés de suprimir ou ignorar o que sente, dê espaço para que cada emoção se manifeste e seja reconhecida. 

Isso não significa ser dominado por elas, mas sim observá-las com gentileza e curiosidade, como se fossem nuvens passando pelo céu da sua mente.

Durante a meditação, você pode se deparar com uma variedade de sentimentos: ansiedade, alegria, frustração ou calma. Cada um deles é uma oportunidade para praticar o mindfulness, por isso é importante estar consciente.

Ao identificar e nomear cada emoção, você começa a entender melhor seus padrões de pensamento e reações habituais.

Respire fundo, sinta o peso do seu corpo na cadeira, ouça os sons ao redor e, então, volte sua atenção para o que está sentindo. 

Entendendo as emoções

Cada emoção carrega consigo uma mensagem, uma indicação de algo que talvez precise de nossa atenção ou mudança.

A sabedoria emocional não é sobre controlar ou eliminar emoções, mas sim aprender a conviver com elas de maneira saudável, reconhecendo que cada emoção tem seu lugar e pode nos guiar para um melhor entendimento de nós somos.

Meditar sobre seus sentimentos é um ato de autocuidado e autoconhecimento. 

Respirar de vez em quando não é apenas um descanso, mas uma oportunidade para “sentir” suas emoções e compreender o que elas podem estar tentando comunicar.

Nesses momentos de introspecção, você pode descobrir padrões de pensamento, reações automáticas e até mesmo aspirações esquecidas. 

Essa prática pode ser como uma conversa silenciosa com sua própria essência, onde você aprende a ouvir não com os ouvidos, mas com o coração e a alma.

Ao se permitir esse tempo, você cria um espaço de aceitação e entendimento. 

É um convite para se conectar com seu eu mais profundo, reconhecendo e honrando suas experiências e sentimentos. 

Dessa forma, ao fazer isso regularmente, você fortalece sua capacidade de enfrentar os desafios do dia a dia com mais serenidade e clareza.

Cultive a gratidão

Quando acordar, faça uma lista de pessoas e circunstâncias que lhe ajudam a se manter vivo e feliz hoje. 

Essa prática matinal é uma excelente maneira de cultivar gratidão e reconhecer as influências positivas em sua vida. 

Pois ao anotar os nomes de familiares, amigos, colegas ou até mesmo estranhos que trouxeram um sorriso ao seu rosto, você começa o dia com uma perspectiva positiva.

Inclua também as pequenas coisas que trazem alegria e conforto, como o calor do sol na sua pele, o aroma do café fresco ou o som da chuva batendo na janela. 

Esses detalhes, muitas vezes negligenciados, são fundamentais para o nosso bem-estar diário.

Essa lista não precisa ser longa ou detalhada; o que importa é a intenção por trás dela. 

Ao se concentrar naquilo que é bom, você estabelece um tom de apreciação e contentamento que pode influenciar todo o seu dia. 

E, com o tempo, essa prática pode transformar sua atitude geral em relação à vida, porque te ajuda a se tornar mais resiliente diante dos desafios e mais aberto às belezas do cotidiano.

O poder da gratidão em nossa mente

É interessante observar que a  prática da gratidão ativa áreas do cérebro associadas ao aprendizado, à memória e à regulação das emoções. 

Esse ato de agradecer estimula a produção de dopamina e serotonina, neurotransmissores fundamentais na sensação de prazer e felicidade. 

A dopamina é conhecida como o “químico do prazer”, enquanto a serotonina é frequentemente chamada de “químico da felicidade” devido ao seu papel na promoção de sentimentos de contentamento e bem-estar.

Esses estudos indicam que a gratidão é mais do que apenas uma resposta emocional, mas também um estado que pode influenciar positivamente a sua saúde mental e física.

Portanto, mesmo que esteja passando por uma situação difícil, tente se lembrar das coisas pelas quais você pode ser grato, mesmo que pequenas. 

Aliás, reconhecer o valor das coisas simples pode ser um exercício transformador. 

Ao valorizar o que já temos, podemos encontrar alegria e satisfação mesmo em meio aos desafios.

A prática da gratidão pode nos ajudar a cultivar uma mentalidade de abundância, onde focamos no que é abundante em vez de escasso. 

Lembre-se, cada momento de gratidão é um passo em direção a uma vida mais plena e feliz.

Caminhada meditativa

A caminhada meditativa é uma prática que une a atividade física da caminhada com a atenção plena, pois permite que a mente e o corpo trabalhem juntos para alcançar um estado de calma e clareza. 

Durante essa prática, você se concentra em cada passo, na respiração e nas sensações do corpo, movendo-se de forma lenta e consciente. Pode ser realizada em qualquer lugar tranquilo, seja em um parque, na praia ou até mesmo em casa. 

O objetivo é estar completamente presente, observando os pensamentos e sensações sem julgamento, mantendo a mente focada no momento atual. 

A caminhada meditativa ajuda a reduzir o estresse, pois melhora a concentração e promove uma sensação de paz interior. 

É uma maneira excelente de se conectar consigo mesmo e com o ambiente, proporcionando benefícios tanto para a saúde mental quanto física.

Praticar regularmente pode ajudar a melhorar a circulação sanguínea, auxiliar na digestão e até mesmo melhorar os níveis de açúcar no sangue para pessoas com diabetes tipo 2. 

O movimento facilita o pensamento

Uma curiosidade histórica interessante é que os discípulos de Aristóteles eram conhecidos por caminhar enquanto discutiam ideias filosóficas. 

Aristóteles acreditava que o movimento físico facilitava o pensamento e a aprendizagem, e por isso, ensinava ao ar livre, caminhando com seus alunos.

Isso, de certo modo, é uma forma de meditação em movimento, semelhante à caminhada meditativa, que de modo semelhante promove a clareza mental e a capacidade de pensar. 

Steve Jobs também era conhecido por fazer caminhadas enquanto pensava e discutia ideias. Ele acreditava que caminhar ao ar livre estimulava a criatividade e a resolução de problemas. 

De fato, estudos da Universidade de Stanford confirmaram que caminhar pode aumentar a produção criativa em até 60%

Caminhar estimula a circulação sanguínea, o que aumenta o fluxo de oxigênio e nutrientes para o cérebro, melhorando a função cognitiva e a capacidade de resolver problemas. 

O ato de caminhar pode liberar endorfinas, que melhoram o humor e reduzem o estresse, criando um ambiente mental mais propício para o pensamento criativo e a reflexão.

Coma com intenção

É possível também comer com atenção e intenção, transformando cada refeição em um momento de plena consciência e mindfulness.

Comece desligando todas as distrações externas para se concentrar plenamente na refeição. 

Respire fundo antes de começar, trazendo sua atenção para o momento presente. 

Observe a comida com apreciação, notando as cores e texturas, e aproveite o aroma antes de começar a comer. 

Mastigue cada bocado lentamente, pois isso vai te ajudar a explorar os sabores e texturas, e a prestar mais atenção aos sinais de saciedade do seu corpo. 

Ao comer, faça-o em silêncio, mesmo que por alguns minutos, para realmente se concentrar na experiência. 

Expressar gratidão pela comida e pelas mãos que a prepararam pode aumentar ainda mais a sensação de contentamento. 

Essa prática não só melhora a digestão, mas também promove uma relação mais saudável e consciente com a alimentação.

Esvazie-se

Há uma antiga história sobre um velho sábio que recebeu a visita de um jovem em busca de conhecimento. 

O jovem, cheio de ideias e opiniões, mal deixava o sábio falar, interrompendo-o constantemente com suas próprias histórias e teorias. 

Vendo isso, o sábio começou a servir chá para o jovem, enchendo sua xícara até transbordar. 

O jovem, surpreso, perguntou por que ele continuava a derramar o chá mesmo com a xícara já cheia. 

O sábio respondeu: “Como esta xícara, você está tão cheio de suas próprias ideias que não há espaço para aprender algo novo. Para ganhar sabedoria, você deve primeiro esvaziar sua xícara.”

Essa história é frequentemente usada para ilustrar a importância de esvaziar a mente para se abrir a novos conhecimentos e experiências, um conceito central na prática do mindfulness. 

No mindfulness, o esvaziamento consiste em criar um espaço de abertura e receptividade. É o processo de deixar de lado julgamentos e preconcepções para observar o presente com clareza e frescor. 

Assim como o jovem precisava esvaziar sua xícara para aprender com o sábio, praticantes de mindfulness buscam esvaziar suas mentes para se conectar profundamente com o momento atual e com a sabedoria que ele pode oferecer.

Menos é mais

Para começar simplifique seu ambiente, removendo as distrações que consomem sua atenção sem oferecer valor significativo. 

Ao fazer uma ‘dieta de informações’, você permite que sua mente descanse e se renove, criando espaço para pensamentos mais claros e focados. 

Esse processo de limpeza mental é essencial para cultivar uma boa prática de mindfulness, onde a qualidade da atenção é mais importante do que a quantidade de estímulos. 

É um convite para redescobrir a serenidade na simplicidade e para reconhecer o poder do silêncio e da reflexão.

Você também pode fazer uma lista de tudo que te distrai ou tira sua energia. 

Essa lista pode incluir hábitos, pessoas, atividades ou até mesmo pensamentos que não contribuem para o seu crescimento pessoal ou profissional. 

Ao identificar esses elementos, você pode começar a tomar medidas conscientes para limitar sua influência em sua vida. 

Com o tempo, ao reduzir essas distrações, você encontrará mais clareza e energia para se dedicar às suas verdadeiras prioridades e paixões.

Aproveite a natureza

Aproveite um pouco a natureza.

Permita-se absorver a tranquilidade do ambiente, ouvindo os sons dos pássaros e sentindo a brisa suave. Esses momentos podem ser incrivelmente restauradores e revigorantes. 

Eles oferecem uma pausa da agitação da vida urbana e uma oportunidade para recarregar as energias. 

Ao se permitir estar presente no meio natural, você pode encontrar uma nova perspectiva e apreciação pela vida. 

Estudos indicam que estar na natureza está associado à diminuição da pressão arterial, redução dos hormônios associados ao estresse, melhora dos batimentos cardíacos e da função cognitiva.

Escreva um diário

Manter um diário é uma forma de expressão pessoal que ajuda a organizar pensamentos, refletir sobre experiências e reconhecer padrões de comportamento. 

A escrita pode ser terapêutica, oferecendo um espaço seguro para falar de sentimentos e emoções, o que pode levar a uma maior autoconsciência e crescimento pessoal.

Quando combinadas, a escrita de um diário e a atenção plena podem se reforçar mutuamente. 

Escrever em um diário é um encontro consigo mesmo, um espaço onde não há necessidade de máscaras ou pretensões. 

É o momento de se permitir ser vulnerável, de questionar, de sonhar e de descobrir. 

Ao se abrir no papel, você se dá a oportunidade de conhecer melhor seus pensamentos e sentimentos, o que pode ser um poderoso catalisador para o crescimento pessoal e a autenticidade. 

Livros sobre Mindfulness

E se você quer aprender um pouco mais sobre mindfulness, vale consultar estes livros.

“Atenção Plena: Mindfulness” por Mark Williams e Danny Penman – Este livro é baseado no programa MBCT (Mindfulness-Based Cognitive Therapy) e foi escrito pelo fundador do Centro de Mindfulness da Universidade de Oxford.

“Viver a Catástrofe Total” por Jon Kabat-Zinn – Um dos primeiros livros de Mindfulness laico escritos no ocidente, pelo criador do programa MBSR (Mindfulness-Based Stress Reduction)

“Manual Prático de Mindfulness: Curiosidade e Aceitação” por Javier Campayo e Marcelo Demarzo – Um guia para entrar em contato com os conceitos e práticas de Mindfulness de forma linear e cuidadosa.

“Viva bem com a dor e com a doença: O Método da Atenção Plena” por Vidyamala Burch – Compartilha ferramentas utilizadas no Programa de Mindfulness para pessoas com dor crônica.

“O Milagre da Atenção Plena” – Este livro é frequentemente recomendado para quem deseja começar a praticar mindfulness

“O Poder do Agora” por Eckhart Tolle – Embora não seja exclusivamente sobre mindfulness, este livro aborda conceitos relacionados à atenção plena e ao viver no momento presente.

O que achou?

Se tiver qualquer dúvida sobre como praticar o Mindfulness, fique à vontade para falar conosco nos comentários. 

Amamos responder nossos seguidores!

Mais paz, menos ansiedade.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Anúncio

POPULARES