Aromaterapia, o perfume da alma.

Aromaterapia, o perfume da alma.

4 minutos de leitura

Quando se fala em Aromaterapia alguns podem pensar que se trata de magia. 

Ou imaginar a cena de um alquimista que tem um caldeirão contendo toneladas de plantas e que, por um tubo de vidro, gotículas de um óleo essencial pingam lentamente. 

Essa cena está descrita em inúmeros livros e filmes e caiu no imaginário coletivo como uma verdade. Mas, no fundo, a Aromaterapia é um ramo da Fitoterapia muito respeitada no mundo todo e que tem uma profundidade ímpar, que vai muito além do que estudar os cheirinhos.

Um pouco da história dos aromas

A técnica da Aromaterapia só foi assim denominada no começo do século passado, quando René Maurice de Gatefossé começou a trabalhar com óleos essenciais em cosméticos e, então, a palavra ficou conhecida. Ele é considerado um pioneiro na Aromaterapia e conseguiu resgatar um conhecimento que ficou perdido no tempo: o uso dos aromas de forma terapêutica.

Se formos olhar para trás, a história da Aromaterapia caminha junto com o desenvolvimento do ser humano e já era usada muito antes de Cristo.

Para citar apenas alguns dos povos que utilizavam os aromas como função terapêutica, estão os egípcios. Em diversas tumbas de faraós, por exemplo, foram encontrados óleos essenciais que teriam sido usados em rituais, mas também para fins medicinais. 

Na Idade Média, quando o cheiro ruim predominava na Europa por causa da falta de higiene, os aromas foram utilizados em perfumes e defumações de casa. Acreditava-se, por exemplo, que o aroma do Alecrim e da Sálvia podiam matar a peste. 

Destilação de óleo Essencial

E isso se tornou tão importante para aquela época, que os estudos sobre os aromas se expandiram. Foi quando, então, os perfumistas começaram a ser vistos como detentores de um conhecimento curativo. Abaixo, vamos deixar alguns pontos da evolução da Aromaterapia no mundo:

  • Em 1200, o perfumista é considerado um profissional, na França. Ele podia comercializar e indicar essências para os mais diversos fins.
  • Em 1370 foi criada a Água de Toalete. 
  • Em 1714, é criada a Água de Colônia.
  • Em 1791, a produção de sabonetes fez ampliar o uso dos óleos essenciais.

A evolução da Aromaterapia

Após a Primeira Guerra Mundial, perfumistas e cientistas começaram a estudar os efeitos dos óleos essenciais também na cicatrização de queimaduras e encontraram diversas funções para os aromas. René Maurice de Gatefossé foi apenas o precursor nessa história e, sem saber, abriu portas para diversos tipos de mercados que hoje exploram os aromas, como a indústria cosmética.

Outro marco da história da Aromaterapia foram os estudos realizados por Jean Valnet, que, junto com outros pesquisadores, analisou clinicamente os óleos essenciais. Foi a partir de seus estudos é que se pode constatar que os óleos têm propriedades antivirais, antibacterianas, anti-sépticas e até antibióticas, conforme o aroma e a finalidade para seu uso. 

Durante décadas, a Aromaterapia foi deixada de lado, já que a exploração em massa dos medicamentos, pela indústria farmacêutica, fez parecer que os óleos essenciais já não tinham mais efeito.

Somente nos últimos 30 anos é que os óleos essenciais voltaram a ganhar força, relembrados pela necessidade de se ter uma vida mais saudável, equilibrada e natural. Atualmente, inúmeras pesquisas realizadas nos mais renomados institutos e universidades do mundo todo comprovam a eficácia da Aromaterapia inclusive em situações hospitalares como trabalhos de parto, feridas profundas, queimaduras etc. 

Como age no corpo humano?

Não estamos sugerindo que você deixe de lado a parte científica, como consultar um médico, por exemplo, para usar a Aromaterapia. Mas, de que até os cientistas estão utilizando os aromas como formas alternativas de lidar com os tratamentos.

A atuação dos aromas no corpo é quase que imediata e, por isso, bastante eficaz. Quando inalados, os óleos essenciais levam todas as propriedades contidas nas plantas para o sistema nervoso central humano, e que irá distribuir “essas informações” para o resto do corpo. Assim, a parte que precisa dessa “informação” receberá as propriedades do vegetal contidas no óleo (e que agora estão dentro do corpo humano) e poderá restaurar a saúde do corpo sem afetar as demais partes que não precisam dessas informações curativas. 

A cura das emoções pela natureza

Mas, não é só no corpo que ela atua. A Aromaterapia visa promover a saúde e o bem-estar também da mente e das emoções, usando as propriedades terapêuticas do aroma natural.

Então, ela faz uma conexão imediata com os nossos sentimentos, memórias e sensações, o que irá proporcionar um equilíbrio também emocional e mental.    

Em outras palavras, podemos dizer que além dessa transformação física interior, a Aromaterapia nos conecta diretamente com a alma ou essência das plantas, nos lembrando da parte divina da mãe natureza, o que nos traz mais equilíbrio.

Indicação de livros

Gostamos tanto de Aromaterapia que queremos deixar a indicação de livros, para quem quer se aprofundar mais nesse assunto:

  • A cura pelos óleos essenciais – Marcel Lavabre
  • O Grande Manual da Aromaterapia – Dominique Baudox 
  • Aromaterapia para Todos – Robert Tisserand
  • Aromacologia, uma ciência de muitos cheiros – Sonia Corazza

Incensos naturais e
artesanais desde 1990

Acesse nossa loja online para conhecer
nossos produtos naturais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este post com mais pessoas!

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no pinterest
Pinterest